Variações do corte a plasma

O objetivo do corte a plasma é realizar a divisão de metais, sejam eles o aço inoxidável, carbono ou outros, por meio de um feixe de plasma com alta temperatura.

A Megaplasma, empresa atuante no ramo de tochas e consumíveis para sistema de corte a plasma, sabe que existem cerca de 7 variações do corte no mercado e, hoje, o propósito principal do artigo é apresentá-los aos leitores. A seguir, acompanhe quais são:

Corte chanfrado

Este modelo de corte é realizado com o objetivo de aumentar a área da superfície da borda, permitindo obter uma soldagem mais forte e, consequentemente, segura.
É curioso que existem diferentes tipos de bordas que podem ser cortadas, entre elas estão a V, A, X, topo em Y e base em Y e K.

Geralmente, este corte é realizado com uma tocha específica para chanfro e, por exigir maior conhecimento sobre o chanfrado, as empresas líderes no mercado que o utilizam estão apostando em profissionais e máquinas específicas.

Corte com maior alcance

Cortes com canais ou vigas com entalhes profundos, corte ou goivagem dentro do compartimento de motores ou em rodas e até a goivagem em cortes diferenciados precisam de um alcance maior. Nestes casos, os consumíveis que devem ser usados neste corte são mais extensos que os padronizados para proporcionar mais visibilidade e acessibilidade.

Corte de formas complexas

O diferencial deste corte também depende, e muito, das tochas e consumíveis utilizados, os quais são as ferramentas essenciais para a obtenção de cortes em formas complexas, como em materiais finos, cortes com muitos detalhes até cortes de formas integradas.

Corte rente

Os cortes rentes, normalmente, podem são realizados por meio do corte a plasma, pois garantem mais eficiência durante a operação. Isso acontece porque o plasma exige menos tempo no processo de pré-corte – preparação das tochas e consumíveis -, bem como auxilia na elaboração de um corte mais seguro, buscando evitar que seja realizado um lixamento secundário.

Goivagem

Variação muito similar com o corte a plasma tradicional, mas neste caso os consumíveis são projetados para produzirem um arco, levemente, mais amplo. Por isso, a tocha é trabalhada em ângulo e apenas uma parte do material se funde.

Corte de orifícios

É fato que a maioria dos trabalhos em orifícios exigem mais que um corte realizado, principalmente nos casos em que os furos servem para prender uma peça em outra.

Com a tecnologia atual, é possível proporcionar um corte automático com uma mesa X-Y, na qual o operador irá apenas alterar, manualmente, a velocidade da máquina de corte a plasma, tamanho e altura do furo.

Marcação

Trata-se de um processo que consiste em marcar números ou letras em uma peça. Com o corte a plasma, é possível poupar tempo e reduzir o manuseio do material.

Destacamos que o plasma é, geralmente, mais rápido e seguro com métodos devido às boas condições ergonômicas, garantindo mais segurança no trabalho.

Gostou do conteúdo? Então saiba mais entrando em contato com a Megaplasma! Aproveite e solicite seu orçamento!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *